Com retomada, Jundiaí já tem o primeiro grande evento marcado para outubro

Com retomada, Jundiaí já tem o primeiro grande evento marcado para outubro

Fonte: https://tribunadejundiai.com.br/economia/com-retomada-jundiai-ja-tem-o-primeiro-grande-evento-marcado-para-outubro/

Feiccad terá a 17ª edição realizada com presença de público. Empresários do setor também demonstram confiança

O primeiro grande evento presencial de Jundiaí, depois de todas as restrições impostas por causa da pandemia, já tem dia e horário para ser realizado. A retomada no município dentro do setor privado será realizada dia 21 de outubro (quinta), com a abertura da 17ª Feiccad (Feira do Imóvel, Construção, Condomínios, Arquitetura e Decoração), no Maxi Shopping.

Durante quatro dias (21 a 24), com entrada gratuita, os mais de 80 expositores do setor de habitação terão um público aproximado de 8 mil pessoas – que deverão, ainda, respeitar as regras sanitárias impostas para evitar a disseminação do vírus (máscara e álcool em gel).

O primeiro grande evento presencial de Jundiaí, depois de todas as restrições impostas por causa da pandemia, já tem dia e horário para ser realizado. A retomada no município dentro do setor privado será realizada dia 21 de outubro (quinta), com a abertura da 17ª Feiccad (Feira do Imóvel, Construção, Condomínios, Arquitetura e Decoração), no Maxi Shopping.

Durante quatro dias (21 a 24), com entrada gratuita, os mais de 80 expositores do setor de habitação terão um público aproximado de 8 mil pessoas – que deverão, ainda, respeitar as regras sanitárias impostas para evitar a disseminação do vírus (máscara e álcool em gel).

De acordo com Adelson Lopes, responsável pela organização da tradicional feira, haverá toda a estrutura necessária para receber o público. Em outubro, inclusive, o porcentual de pessoas vacinadas pelo menos com a primeira dose da vacina será ainda maior (até o momento, já foram aplicadas mais de 300 mil doses na cidade).

“Já estamos com metade da população vacinada, pelo menos com a primeira dose da vacina. Teremos, assim como nos outros anos, um evento muito bem estruturado para receber as pessoas com toda a segurança possível, incluindo o controle de acesso e a aferição da temperatura”, destacou.

Ele celebrou o momento, depois de um longo período sem poder organizar eventos na cidade. “De março de 2020 para cá, este vai ser o grande evento da cidade com tudo o que diz respeito à área da habitação. Entendo que as feiras não deveriam ter sido canceladas, principalmente porque pelo controle do número de pessoas, elas têm mais espaço que um supermercado, que não foi proibido de trabalhar. Não entendemos muito bem isso naquele momento, mas agora parece que estão tendo consciência e liberando”, ressaltou Adelson.

O primeiro grande evento presencial de Jundiaí, depois de todas as restrições impostas por causa da pandemia, já tem dia e horário para ser realizado. A retomada no município dentro do setor privado será realizada dia 21 de outubro (quinta), com a abertura da 17ª Feiccad (Feira do Imóvel, Construção, Condomínios, Arquitetura e Decoração), no Maxi Shopping.

Durante quatro dias (21 a 24), com entrada gratuita, os mais de 80 expositores do setor de habitação terão um público aproximado de 8 mil pessoas – que deverão, ainda, respeitar as regras sanitárias impostas para evitar a disseminação do vírus (máscara e álcool em gel).

De acordo com Adelson Lopes, responsável pela organização da tradicional feira, haverá toda a estrutura necessária para receber o público. Em outubro, inclusive, o porcentual de pessoas vacinadas pelo menos com a primeira dose da vacina será ainda maior (até o momento, já foram aplicadas mais de 300 mil doses na cidade).

Adelson Lopes já tem eventos sendo programados para 2022: retomada (Foto: Arquivo Pessoal)

“Já estamos com metade da população vacinada, pelo menos com a primeira dose da vacina. Teremos, assim como nos outros anos, um evento muito bem estruturado para receber as pessoas com toda a segurança possível, incluindo o controle de acesso e a aferição da temperatura”, destacou.

Ele celebrou o momento, depois de um longo período sem poder organizar eventos na cidade. “De março de 2020 para cá, este vai ser o grande evento da cidade com tudo o que diz respeito à área da habitação. Entendo que as feiras não deveriam ter sido canceladas, principalmente porque pelo controle do número de pessoas, elas têm mais espaço que um supermercado, que não foi proibido de trabalhar. Não entendemos muito bem isso naquele momento, mas agora parece que estão tendo consciência e liberando”, ressaltou Adelson.

Setor prejudicado

O empresário lembrou, também, que muitas empresas do setor fecharam as portas depois da pandemia. “A partir de março de 2020, as empresas de eventos foram proibidas de trabalhar e isso já está indo para um ano e meio em setembro. Há oito meses, os números mostravam que 57 mil empresas fecharam as portas nesta pandemia. Hoje, isso deve estar beirando 80 mil, infelizmente, pois não tinham caixa para manter a empresa ativa”.

Ao longo das 16 edições (a última aconteceu em 2019), a Feiccad foi responsável por garantir pelo menos mil empregos diretos e indiretos nos quatro dias de evento.

A partir de 2022, a expectativa é de retomada total dos grandes eventos no município realizados pela Adelson Eventos. Já estão sendo programados a feira de noivas (que é realizado há 18 anos), uma feira de educação e uma nova edição da Brasil Log (feira internacional de logística). “Devemos retomar, também, os feirões da Caixa (Econômica Federal) presenciais, também”.

Ânimo

A queda nos índices de internações e mortes causadas por complicações da Covid tem deixado animado o setor de eventos. Em São Paulo, o Governo do Estado preparou alguns eventos-teste para a retomada – o primeiro deles, inclusive, foi realizado em Santos com mais de 1,2 mil pessoas testadas em dois dias.

Marcos Brunholi celebra a retomada dos eventos (Foto: Arquivo Pessoal)

Dono de um salão de festas e de uma cervejaria, Marcos Brunholi disse que vê com bons olhos a realização dos eventos-teste. “É uma classe profissional que reúne muitas pessoas, envolve uma gama gigantesca de profissionais. Está todo mundo parado e passando dificuldade. Trabalhando com o número correto de público, com todas as regras sanitárias, será muito importante essa retomada. Tem gente vendendo equipamentos e bens para poder pagar as contas”, comentou.

Juliana Temple disse que os empresários do setor viveram uma montanha-russa (Foto: Divulgação)

Juliana Temple é empresária, responsável por fornecer uma plataforma de gestão para empresas de eventos e profissionais do ramo. Ela disse que muitos clientes deixaram de pagar o serviço porque não tinham mais faturamento. “Vivemos uma montanha-russa nesses quase 1,6 ano de suspensão dos eventos, pois existia uma promessa dos governantes de migração das fases do Plano SP a cada 15 dias, o que nos dava uma certa esperança. A retomada não se confirmou e muitos não aguentaram permanecer abertos”, destacou.

Ela disse que foi feito o possível para que os clientes pudessem manter o serviço. “São todos nossos parceiros, então conseguimos descontos na assinatura e ampliamos as parcelas dos contratos, mas alguns saíram. Houve a esperança de que no segundo semestre a situação seria melhor e as empresas retornaram. Aí veio a variante (da Covid) e isso voltou à estaca zero. Muita gente fechou, quebrou e teve de vender tudo para poder pagar as contas. Graças a Deus, agora, os eventos estão retomando”.

No setor, os segmentos de recreação e bufê infantil foram os mais afetados. “Eles sofreram bastante porque o público-alvo envolve as crianças, as famílias. Por isso a demanda caiu absurdamente. Antigamente não se falava em festas com 30 pessoas, era totalmente inviável porque o mínimo era com 50 pessoas. Os empreendedores tiveram de se reinventar e hoje já é possível com esse público reduzido”.

Com a vacinação em massa e a redução dos índices da pandemia, Juliana já enxerga melhora no setor. “A pandemia fez com que houvesse uma preocupação maior em relação ao planejamento, a gestão e a forma de trabalhar das empresas. Muitos não guardavam nem a base de clientes, o que é importantíssimo. Estamos oferecendo muito mais material e aproveitamos também esse período para fazer uma nova versão da plataforma”.

Deixe seu comentário

comentários

 

Facebook
YouTube
Instagram